»
Vic, 14 anos, Brasil.
"De certo modo, é bom saber que há deuses gregos lá fora, porque aí temos alguém para culpar quando as coisas dão errado." (Ladrão de Raios)

,

O menino de apenas 7 anos vê o pai com um balde e vassoura em mãos. Ele vira para o pai e pergunta:
- Onde você vai papai? -
O pai para e olha pro filho.
- Dar uma limpeza no porão, quer ir comigo? -
O filho faz que sim com a cabeça de deixa o giz de cera roxo, com que coloria um dragão, de lado e segue o pai até o porão. Chegando lá o pai acende a luz e pega dois banquinhos. Manda o filho sentar-se em um e ele em outro. Logo o pai começa a ver uns documentos que ali estavam guardados enquanto o filho mexia em tudo que ali no porão estava. O filho tanto mexe que acha um baú. Um baú de madeira, grande e empoeirado.
- O que é isso papai? - ele pergunta - é um tesouro? -
O pai dirigi o olhar ao pequeno que estava tentando puxar o baú para mais perto do pai, que sorri ao ver a cena. Ele se levanta e ajuda o filho, leva o baú a perto dos dois banquinhos. Pega um pano úmido que havia trago e limpa o baú para tentar tirar a poeira. Depois olha pro filho, que não tirava o olho do baú.
- É um tesouro papai? - o menino torna a perguntar e o pai, novamente, sorri.
- Sim, é o meu tesouro. -
- Abre papai, abre! - o filho fala animado. O pai faz como pedido e abre o baú.
O menino olha para dentro dele e vê livros, papeis pequenos e duas camisas, uma roxa e a outra laranja. O pequeno não entende. “Não era um tesouro?” ele pensa.
- Papai, cadê o tesouro? - o menino pergunta um pouco decepcionado. O pai olha pro filho e responde:
- Esse é o tesouro meu filho. -
O menino ainda sem entender pergunta:
- Mas, são só livros papai. Livros e duas camisas velhinhas, velhinhas -
- Sim, mas esse é o tesouro. O meu tesouro. - o pai pega um dos livros e sopra a poeira. Assim da para ler a capa: “O Ladrão de Raios”. O livro, mesmo estando velho, chama a atenção do menino.
- Que livro é esse papai? -
- É o livro sobre um herói meu filho, um herói chamado Perseus Jackson. -
O menininho pega da mão do pai o livro e abre, vendo que não te gravuras, olha pro pai e fala:
- Não tem desenhos, não dá pra entender papai. - o filho entrega o livro pro pai, decepcionado. Ele queria entender a história sobre esse tal herói Perseus Jackson. Ele não lembrava dele das suas histórias. Ele conhecia o Homem Aranha, o Super-Homem e também o Homem de Ferro, mas não conhecia o Perseus Jackson.
- Quer que eu lhe conte a história do Percy? - o pai pergunta e o menino concorda rapidamente. Feliz e com um sorriso de orelha a orelha.
O pai feliz, pega o baú e sobe com ele, até o quarto do filho. Depois de limpar os livros e pedir que a esposa lave as camisas. O pai senta ao lado da cama do filho, que já esta posto para dormir, e começa a ler:
- Olhe, eu não queria ser um meio sangue… -


— [x] (via l-osthero)
via: l-osthero

Nas férias de verão, Thalia e as caçadoras foram
passar um tempo no acampamento.
Chegando lá ela descobre que Percy, Annabeth e
o Grover estão, ainda, no apartamento de Percy.
Brava ela chega na casa grande chingando.
- Reclamam que eu nunca venho visitar eles
e quando eu venho descubro que eles ainda
não chegaram? - ela gritava.
- O que aconteceu Thalia? - pergunta a Rachel,
que estava sentada na poltrona da Casa Grande
lendo um livro.
- Ah! Oi Rachel. O Percy, Annabethe e Grover que ainda
não chegaram. - ela se senta ao seu lado com cara fechada.
- Vish, eles só vão chegar depois de amanhã, a mãe de Percy
vai fazer um jantar amanhã, o pai, a madrasta e os irmãos
de Annabeth também vão, - ela sorri - e eu. -
- Você vai? - pergunta Thalia assustada.
- Uhun -
- E eles não me chamaram? Que amigos em.. - Agora Thalia estava
com muita, muita raiva. Rachel estava com medo de encostar na mesma
e levar choque por conta de ser filha de Zeus.
- Eles pediram pra te chamar - Rachel diz se divertindo com a situação.
- E quando você iria me dizer isso? - Thalia se levanta - vamos! -
Rachel ri, deixa seu livro na poltrona e pega suas coisas, espera Thalia
fazer o mesmo e vai até o topo da colina, onde Argos as esperavam.
Thalia estava contente, mesmo não dizendo, dava para ver na sua cara
que ela sentia falta daqueles três.
Argos estava a caminho do aeroporto, mas Thalia parecia não saber disso.
Quando chegaram, Thalia passou um olhar de assustada para Rachel, que se
despediu e agradeceu Argos antes de puxar Thalia até o avião de seu pai que
estava a espera delas. Thalia, por sua vez, estava imóvel.
Quando finalmente entraram no avião, Thalia disse;
- Vamos mesmo de, a-avião? -
Rachel assentiu enquanto se acomodava na poltrona. Thalia se sentou ao seu lado,
na janela.
- Sim, porque de carro demoraria muito -
Thalia engoliu em seco, orou a Zeus baixinho e Rachel indagou;
- Fica tranquila, é só não olhar pela janela. - a mesma sorriu,
mas Thalia permaneceu séria.
- Ãn? - fingiu de desentendida.
- Eu sei que você tem medo de altura Grace, sou o oráculo. -
- Eu não tenho medo de.. - Thalia foi interrompida por uma turbulencia.
Thalia se agarrou a Rachel, a cena era engraçada, Rachel se divertia com
a situação enquanto acalmava Thalia, ou tentava. Mas Thalia continuava
agarrada ao braço de Thalia, e murmurava coisas do tipo “é hoje que agente morre!”
ou “sou muito nova pra morrer.”
A turbulencia acabou, Thalia soltou-se de Rachel, envergonhada. Rachel estava em
uma crise de risos.
- Você não tem medo de que mesmo Thalia? -
- Vá para o tártaro Rachel Elizabeth Dare! -


— Thalia e Rachel. ‘Você não tem medo de que mesmo filha de Zeus?’ (via l-osthero)
via: l-osthero

l-osthero:

Isso se chama respeito, uma coisa que todos deveriam ter.

Ela tem meu respeito. 


via: l-osthero

15 anos depois da tal guerra contra Cronos, uma mulher loira de olhos cinzas e tempestuosos estava dando falando um pouco mais sobre mitologia para os novos campistas, quando um deles levanta a mão.
- Sim – disse a mulher sorrindo.
- Quem foram aqueles que têm o nome gravado na placa ali que tem no topo da colina? –
A mulher sorriu emocionada pelo interesse do garoto.
- Percy, Annabeth, Luke, Thalia, Nico, Bianca, Zoe, Silena, Charles, Grover, Juniper, Rachel, Ethan, Clarisse, entre muitos outros foram quem participaram da guerra contra Cronos. Aqueles que impediram a queda do olimpo. - ela disse.
- Silena, Luke e Ethan foram uns traidores, - disse uma voz no fundo que ela não soube identificar de quem era.
- Não, muito pelo contrário. – disse um homem de olhos verdes aparecendo ao lado da mulher que sorriu para ele. – Silena foi uma heroína, ela fez o que fez por amor. Se não fosse Luke, talvez não tivéssemos ganhado. Ethan errou, mas depois mostrou estar arrependido. Todos eles se mostraram serem heróis. –
A mulher sorriu e todos os olhavam atentos.
- Jackson, Chase, Castellan, Grace, Di Ângelo, Beauregard, Beckendorf, Underwood, Elizabeth Dare, Nakamura, La Rue entre muitos outros, são sobrenomes de heróis. Se vocês carregam algum desses sobrenomes, se sintam honrados. – falou um centauro que estava ao lado da mulher de olhos cinzas. –
Nessa hora todos os campistas que antes estavam calados, estavam comentando coisas do tipo “eu tenho Grace no nome” ou “meu primo tem Di Ângelo no nome”.
A mulher de olhos cinzas, o homem e o centauro sorriam.
Alguns minutos depois eles se calaram, a pequena aula havia acabado.
Logo chega um menino e uma menina correndo, gêmeos, eles deviam ter 7 anos. A menina era loira dos olhos verdes e o menino moreno dos olhos cinzas.
- Mamãe a Silena me bateu. – disse o garoto.
- Papai o Luke ta mentindo, ele que me bateu. –
Eles correram para o colo dos pais que conseguiram conter os meninos.
- Acho que por hoje acabou. – disse o homem com a menina no colo.
- Amanhã vamos falar sobre o calcanhar de Aquiles. – disse a mulher.
- Espera ai, vocês não disseram seus nomes. – disse um menino.
- Annabeth Chase. –
- Percy Jackson. –
Eles sorriram e saíram dali em rumo ao pavilhão para o jantar.
E atrás deles os campistas estavam eufóricos dizendo:
“Eles são os famosos Chackson”


— (via l-osthero)
via: l-osthero